O Dia Em Que Encontrei Um Boneco Dos Power Rangers

Uma história sobre os Power Rangers, nostalgia e as pequenas alegrias da vida.


A primeira coisa que gostaria de esclarecer aqui é que este título não se trata de um bait, só é meio estranho mesmo.

Simplesmente não encontrei um melhor, mas acredito que fará sentido até o fim do texto.


Os Anos 80 e 90

Quase todo mundo que viveu nas décadas de 80 e 90 costuma recordar daquele período com enorme saudade.

Foi uma época que tinha “alma”!

Rica em cultura, repleta de filmes marcantes, e diversas outras coisas que tornaram aquele pedaço de tempo especial.

A mesma saudade bate ao lembrarmos dos produtos e “manias” que fizeram sucesso.

Roupas como as jaquetas jeans do Hard Rock Cafe, bonés de times de basquete, ou mesmo as práticas pochetes.

As modas vinham em ondas, numa época em que a internet como conhecemos atualmente estava longe de existir.

A TV, as revistas e jornais se encarregavam de promover as novidades.

O próximo objeto de desejo poderia surgir a qualquer hora.

Afinal era o gosto popular que dava a palavra sobre a moda do momento, na “rede social” do mundo real.

Algumas coisas encantavam pessoas de todas as idades, como as coleções de figurinhas e brinquedos.

Uma rápida pesquisa na internet lhe dará uma noção do quão divertidos eram os brinquedos da época.

Os fabricantes realmente sabiam conquistar os pais, aqueles que dariam a palavra final sobre os presentes de seus filhos.

Mas não era raro ver adultos comprando brinquedos com a desculpa de que era para uma criança, com vergonha de dizer que era para eles mesmos.

O que na minha humilde opinião sempre foi bobagem, já que não existe vergonha nenhuma nisso.

Bonecos dos Comandos em Ação, um Lango Lango bom de briga, jogos de botões e autoramas, somente para citar alguns exemplos.

Mesmo numa fase menos tecnológica, a criatividade e a imaginação comandavam tudo.

Os videogames já tinham sim seu lugar, e a cultura das locadoras estava no auge.

Mas uma coisa não anulava a outra, tudo se complementava e contribuía para a criação da identidade daquele período.

Eu ainda era uma criança, e ficava fascinado com cada uma dessas novidades.

Muitas coisas me marcaram nessa época, e trago-as em meu coração desde então.

Hoje vim falar de uma das mais marcantes: o fenômeno dos Power Rangers.


Os Poderosos Power Rangers

Já entregando minha idade, peguei o final da era de ouro dos super sentais.

Minha alegria era assistir Changeman, Jiban, Jaspion, Jiraiya e Cybercop.

Hoje em dia o pessoal fala que estes programas faziam menos sucesso porque eram totalmente feitos para o público Japonês, ou seja, como se a diferença cultural tivesse criado algum tipo de barreira intransponível.

Mas isso é uma grande bobagem, quem viveu a época sabe o quanto cada um destes programas eram queridos.

Entretanto, quando os super sentais estavam sumindo da TV aberta (lá no começo dos anos 90), surgiu um novo fenômeno chamado Power Rangers.

Um programa aos mesmos moldes dos clássicos do gênero, porém totalmente adaptado para o público ocidental.

Foi uma excelente surpresa!

Ao invés dos seres mitológicos de Changeman, os Power Rangers eram representados por criaturas pré-históricas.

E realmente trouxeram todos os elementos que já gostávamos nos outros seriados.

Tudo naquele tom divertido e inocente, onde o que mais importava era criar uma situação empolgante.

Não havia comprometimento com o realismo, ou a preocupação exagerada em fazer sentido, era apenas a imaginação tomando forma nas telas de nossas TVs.

E pode acreditar, os Power Rangers invadiram nossas casas por todos os lados!

Na TV, nos jogos, e até mesmo se tornando fonte de conteúdo infinito para nossa querida revista Herói.

E neste turbilhão, um item específico se tornou o objeto de desejo de 9,5 a cada 10 crianças (e muitos adultos): o boneco oficial dos Power Rangers.

Eram figuras bonitas, coloridas e construídas pensando na ação das brincadeiras.

Como se isso já não fosse legal o suficiente, um detalhe genial diferenciava os Rangers de quaisquer outros bonecos.

Além de trazer o já mencionado toque de criatividade dos brinquedos daquela época.


Os Power Rangers De Brinquedo

Quem lembra da hora de morfar?

O momento mais aguardado, onde os personagens se reuniam para acionar seus poderes e armaduras maneiríssimas.

E o brinquedo oficial foi um sucesso porque além de tudo conseguia representar este momento de forma brilhante.

Um boneco da linha clássica dos Power Rangers
Um boneco da linha clássica dos Power Rangers (BANDAI)

Cada boneco tinha duas cabeças, uma com a forma normal do personagem, e outra com seu capacete de batalha.

Enquanto uma cabeça ficava na posição normal, a outra ficava guardada no torso do boneco, mas bastava pressionar o cinto dele para que a mágica acontecesse.

Através de um mecanismo simples e inovador, ao toque deste botão a cabeça do boneco rapidamente mudava.

Hoje em dia é um pouco mais difícil explicar quão mágico era isso tudo.

Como consequência por serem tão legais, os bonecos simplesmente desapareciam das lojas, mesmo sendo caros.

Eu também estava entre as crianças que desejavam ter pelo menos um destes bonecos, mas ainda que encontrasse algum deles nas lojas, não poderia ter um.

Meus pais não teriam como investir tanto dinheiro num boneco naquele momento, algo que era totalmente compreensível para mim.

Algum tempo depois cheguei até a ganhar um boneco “paralelo”, que foi um dos melhores presentes que já ganhei.

Uma imitação bem feita, que mesmo com algumas limitações, era mais do que suficiente para me divertir.

Mas sempre carreguei comigo a curiosidade sobre como seria brincar um boneco original dessa linha, ou pelo menos vê-lo de perto.

Eles eram feitos pela BANDAI, a mesma empresa que se uniu à NAMCO e hoje se chama BANDAI NAMCO.

Também é a mesma empresa responsável por outra febre da época: os bonecos dos Cavaleiros do Zodíaco.

O fato é que as décadas se passaram, e até hoje não vi um boneco original dos Power Rangers pessoalmente.


Brinquedos que Marcam Época (Netflix)

Recentemente tive a oportunidade de assistir alguns episódios da série “Brinquedos que Marcam Época”, na Netflix.

Mais precisamente cinco dias antes do Natal de 2023.

Um destes episódios era justamente sobre os Power Rangers, relembrando inclusive o fenômeno que foram estes bonecos.

Sou muito fã de marketing de conteúdo bem feito, mordo a isca com facilidade.

E isso apertou o botão da nostalgia, me inspirando a revisitar os Power Rangers.

Consumi vídeos de pessoas mostrando suas coleções, e até matei a saudade revendo alguns episódios clássicos da série.

Até o filme mais recente dos Rangers resolveu aparecer na TV, este sim sem que eu nem o procurasse, como se o universo estivesse conspirando a favor dos Rangers.

Você já teve a sensação de estar sendo observado?

Sabe quando você está assistindo algo, ou simplesmente comenta com alguém sobre aquilo, e do nada começam a aparecer propagandas de produtos ligados ao assunto?

Foi exatamente isso que aconteceu comigo.

Apareceram bonecos dos Power Rangers por todos os lados, numa amostra de que as ferramentas de marketing estão funcionando de maneira impecável.

Bonecos usados, originais, réplicas, novos, antigos…

Eu não estava procurando um boneco dos Power Rangers, já havia me conformado com isso lá nos anos 90.

Muito menos havia acordado pensando nisso.

Até que entre essas propagandas descubro que a HASBRO, atual proprietária dos Rangers, lançou uma nova edição dos bonecos que viram a cabeça.

Um boneco da nova linha dos Power Rangers
Um boneco da linha mais recente dos Power Rangers (HASBRO)

Este relançamento aconteceu por volta de 2021, e novamente eles estavam esgotados.

Entretanto, as excelentes ferramentas de marketing me mostraram que ainda era possível encontrar um boneco específico desta linha.

Ao que tudo indica, por ser menos conhecido, teve uma procura menor.

Ou mesmo por acharem que não é da mesma linha oficial, por ter um nome diferente, ou qualquer outra coisa que o tenha deixado em segundo plano.

Ele apareceu por um preço justo, estava em promoção, e pensei: por que não?

Não sou colecionador, não costumo comprar action figures, e mesmo assim não encontrei em minha mente nenhum motivo forte para ignorar esta oportunidade.

Mas quem era este personagem?

Será que finalmente eu havia conseguido acesso a um produto original?


Uma Caçada Aos Power Rangers

Confesso que não conhecia esta personagem.

Com seu uniforme preto e rosa, a chamada Ranger Slayer tem um visual muito interessante.

Ela parece um Ranger, porém numa versão mais séria e mal encarada.

Pesquisando sobre ela, soube que surgiu nos quadrinhos, por isso não a conhecia.

Trata-se de ninguém menos que Kimberly, a Ranger rosa.

Porém ela pertence a um universo paralelo, e naquela realidade combate os Rangers.

O que explica a palavra Slayer em seu nome.

A Ranger Slayer, da linha mais recente de bonecos dos Power Rangers
O boneco da Ranger Slayer, igual ao que adquiri

Como curiosidade, esta Ranger diferenciada é também uma personagem selecionável no jogo de luta “Power Rangers: Battle for the Grid”.

Por algum motivo a HASBRO decidiu incluir a personagem nesta versão mais recente da coleção.

Foram lançados todos os Rangers mais conhecidos, inclusive o verde e o branco, e mais a Ranger Slayer.

Ou seja, era um produto oficial, da mesma linha, construído da mesma maneira.

Os novos bonecos tinham algumas diferenças em relação aos primeiros, fabricados pela BANDAI.

São mais largos, têm rostos diferentes, um mecanismo aperfeiçoado e mais articulações.

Mas a essência dos bonecos permaneceu intacta.

Tecnicamente não era uma Ranger, nem mesmo fazia parte daqueles bonecos que tanto desejei no passado.

Mesmo assim, era o mais perto que já havia chegado de um destes.


A Ranger Slayer

Passados alguns dias, recebi a encomenda.

Tirei da caixa, fiquei um tempo admirando a embalagem, e naquele momento percebi que nenhum daqueles eventos havia ocorrido por acaso.

Era como se uma memória feliz do passado tivesse se materializado diante de meus olhos.

Quando era criança, essas embalagens de bonecos originais me pareciam algo inalcançável.

Porque no fundo compreendia que meus pais não podiam me comprar tantas coisas.

Claro que eu era feliz do mesmo jeito porque eram apenas coisas materiais, e isso me fazia dar ainda mais valor ao que tinha em casa.

Mas de qualquer forma foi algo que ficou gravado.

Quem viveu a onda dos bonecos dos Power Rangers sabe que não é exagero.

Incrível como provavelmente nenhum outro boneco teria me causado esta mesma sensação.

O que estava diante de mim era muito mais que um simples pedaço de plástico moldado, como nosso olhar adulto nos leva a crer.

Este boneco é um fragmento da cultura de minha época.

Me trouxe o melhor sentimento de nostalgia, aquele raro momento de conforto em que podemos literalmente tocar uma parte do passado, ou reviver um de nossos momentos favoritos.

Quando finalmente tirei o boneco da embalagem, fiquei por muito tempo admirando seus detalhes, observando como tudo é pensado e construído.

Principalmente o mecanismo de girar a cabeça, que estava tão curioso para ver de perto.

Em resumo, foi um momento especial, que aconteceu de um modo que jamais poderia imaginar.


Uma Breve Reflexão

Este evento me fez enxergar claramente o quanto a vida adulta faz o mundo perder a magia.

Não é culpa nossa, afinal a vida é dura, e enquanto passamos os dias sobrevivendo as coisas se tornam frias e reais até demais.

Tudo vai se tornando comum, deixando pouco espaço para a imaginação e a criatividade.

Me fez relembrar que às vezes não precisamos de muito para termos momentos de alegria.

E que em nossa vida existem pequenos sonhos que são realizáveis, mas simplesmente acabamos nos esquecendo ou deixando eles de lado com o tempo.

Passamos a dar pouco valor ao que realmente importa, ao significado de tudo.

Já parou pra pensar em quantas coisas legais você poderia realizar, mas por algum motivo nem tenta mais?

No meu caso foi um boneco dos Power Rangers, mas no seu talvez seja aquele disco de vinil que seu pai ouvia junto com você.

Ou aquele lugar que você queria visitar, mas não teve condições na época.

Aquele poster que te deixava de boca aberta quando ia na locadora, e hoje pode ser facilmente encontrado.

Até mesmo aquela receita que você adorava, e agora pode encontrar no Youtube.

E assim por diante…

Conforme o tempo passa nossos sonhos vão mudando, ficando mais difíceis de realizar.

Mas nem tudo é tão complicado quanto parece, quanto nos acostumamos a crer.

Posso te garantir que se olhar bem, perceberá que existem em sua vida muitos sonhos possíveis e realizáveis.

Não tem a ver com objetos, com bens materiais ou consumismo, e sim com o significado que está por trás de cada uma das coisas e momentos.

Em buscar o que tem algum significado para você, sem se preocupar demais com o senso comum.


Uma Pendência Resolvida?

Posso dizer que considero sim esta vontade realizada, depois de tantos anos.

Mesmo não tendo sido um boneco daquela mesma coleção dos anos 90.

Claro, gostaria que a HASBRO trouxesse esta linha de volta num futuro próximo, para encontrar um Ranger do programa original.

Mas está tudo bem, acredito que já tirei o melhor desta situação.

Enquanto pesquisava sobre a Ranger Slayer, foi muito legal perceber que muitos dos que faziam os vídeos compartilhavam desta mesma sensação.

Pessoas que na época não puderam ter um destes bonecos, mas finalmente haviam conseguido.

O boneco está aqui em meu posto de trabalho, e virou um belo item de decoração.

Por incrível que pareça, estes acontecimentos trouxeram um novo fôlego ao meu processo criativo!

Algo fundamental para minha rotina de trabalho.

Olhar para este boneco me traz uma sensação boa, e constantemente me lembra de reservar um tempo para tentar analisar o mundo com outros olhos.

Tenho pensado bastante sobre vontades e sonhos de outras épocas de minha vida, que talvez possa realizar hoje.

É isso…

Se consegui prender sua atenção até aqui, e começando com Power Rangers tenha te ajudado a terminar pensando em seus próprio sonhos, a missão de hoje foi cumprida.

Espero que esse texto faça sentido e de alguma forma melhore seu dia.

Tomara que você se divirta lendo ele, tanto quanto me diverti escrevendo.

Foi um prazer compartilhar mais uma história.

Um abraço e até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *